esterçar

Prezado Professor Moreno: sou seu admirador e queria formular uma pergunta. Quando criança (interior de Minas Gerais) eu ouvia muito a expressão “desterçar a roda de um carro” ou então “esterçar a roda de uma carro”. Já constatei que nenhuma dessas duas palavras existe; já vi “terçar”. Será que lá em Uberlândia todos falavam erradamente essa palavra? Aguardo sua ajuda. Abraço.

José Régis R.

Meu caro Régis: o que queres dizer com “nenhuma dessas palavras existe”? Presumo que se traduza em “não estavam no dicionário em que procurei”, não é isso? Ora, lembra-te sempre de duas verdades básicas: (1) nenhum dicionário do mundo contém todas as palavras de uma língua e (2) se ouvias essas expressões em Uberlândia, elas decididamente existiam (a não ser que tua feliz infância fosse povoada de alucinações auditivas).

Claro que a palavra poderia ser escrita de outra forma, o que explicaria a pesquisa infrutífera. Lembro do leitor que reclamou não ter encontrado no Aurélio um vocábulo tão comum quando *odômetro; ele deve ter ficado sem jeito quando eu o informei de que ele estava procurando no endereço errado: o vocábulo é hodômetro, e mora na letra H, não na letra O do amansa-burro. Este, no entanto, não é o teu caso; a forma é esterçar, mesmo.

É um vocábulo usado em automobilismo e, portanto, coisa bem moderna. A edição atual do Morais (1999) dá esterçar com o significado de “mover à direita e à esquerda o volante do automóvel”. Nosso dicionário campeão, o Houaiss, registra o mesmo significado, mas traz muitas outras informações, entre elas que o termo vem do italiano sterzare, vocábulo registrado em 1743, com o sentido primitivo de “fazer girar a carroça”, que adquiriu, no séc. XX, o sentido de girar o volante do automóvel.

Uma rápida pesquisa nas páginas especializadas de automobilismo, na Internet, mostra dezenas de exemplos do emprego de esterçar, esterçamento e esterçante. Não encontrei desesterçar, mas num lugar onde se esterça, por que também não se desesterça? Afinal, o prefixo des- pode ser acrescentado a qualquer verbo que admita, semanticamente, o inverso da ação: enterrar, desenterrar; colar, descolar; pregar, despregar; comer, descomer; etc. A maior parte do nosso léxico ligado ao automóvel proveio da França, de onde foram importados os primeiros carros que entraram no Brasil (dá uma olhada no que escrevi sobre a origem de chofer); esterçar, contudo, termo muito útil no automobilismo desportivo, veio da Itália, pátria das Ferraris, Maserattis e Lamborghinis e — para meu gosto — das Buggattis.

Além disso, o que justifica sua incorporação ao nosso idioma é a sua grande utilidade, pois serve de base para outros vocábulos muito empregados nos textos sobre segurança ao dirigir, como subesterçar e sobre-esterçar. Um carro subesterçante é o que tende a sair de frente, na curva, enquanto um sobre-esterçante tende a sair de traseira. Neste último caso, inclusive, o remédio que os peritos recomendam (e que os simples mortais como eu não têm reflexo nem coragem para empregar) é o contra-esterço, que consiste em aumentar a pressão no acelerador e girar a direção mais ainda em direção à curva! Os conceitos de subesterço e sobre-esterço são amplamente empregados na literatura especializada mundial, onde aparecem como sottosterzo e sovrasterzo (Italiano) e understeering e oversteering (Inglês). Fica tranqüilo, que esterçar está correto em Uberlândia e no mundo todo! Abraço. Prof. Moreno

Depois do Acordo: contra-esterço> contraesterço

tranqüilo>tranquilo