Artigos em Conceitos lingüísticos

Como nasce uma palavra

O ser humano tem a tendência natural a perguntar pelas origens — do mundo, da vida, das coisas, das palavras. Neste último caso, contamos com o valiosíssimo testemunho dos textos escritos, mas, mesmo assim, é praticamente impossível descobrir a gênese de certas palavras ou expressões que surgem de repente e acabam fazendo parte de nosso léxico.

ler completo
dizimar

Acompanhe esta discussão sobre o sentido do verbo DIZIMAR, de onde se extraem dois valiosos ensinamentos: (1) as palavras, assim como as moedas, mudam de valor com o passar do tempo; (2) aquilo que parece novidade pode ser bem mais antigo do que você pensa.

ler completo
sanguessuga

SANGUESSUGA, por sua estrutura, parece uma estranha no ninho — uma “exceção”, diriam os antigos. Para quem, entretanto, vê a língua como um sistema organizado e procura entender seus mecanismos, é impossível aceitar que um vocábulo composto tenha se formado assim a la louca, contrariando princípios tão elementares de nosso léxico.

ler completo
Cigano (conclusão)

Expurgar o dicionário do lado “ruim” das palavras, retirar do verbete as acepções depreciativas de CIGANO, como quer o procurador, implicaria apagar uma parte da nossa história, fechando a possibilidade de entendermos determinadas posturas que nossa sociedade assumiu ao longo do tempo, por mais condenáveis que elas possam parecer ao observador de hoje.

ler completo
Cigano

No dia em que registrar os valores depreciativos que certos vocábulos assumiram ao longo do tempo for considerado um crime, nossa língua — ou melhor, nossa civilização terá embarcado numa viagem sem volta para a noite escura da desmemória.

ler completo
Popurri: grafia fonética, parônimos, gravidezes

Este POPURRI de questões de linguagem vai da conveniência ou não de criar uma GRAFIA FONÉTICA ao conceito de PARÔNIMO, passando pelos OSSOS DO OFÍCIO e pelo plural de GRAVIDEZ.

ler completo
Segredos do betão

A tão propalada unificação do mundo lusófono — uma das promessas mais fantasiosas do Novo Acordo — não ocorreu, não vai ocorrer nem PODE ocorrer. Os brasileiros e os portugueses compartilham o mesmo idioma, mas cada um à sua maneira e feitio.

ler completo
meados

“Em MEADO de setembro” ou “em MEADOS de setembro”? Ambas estão corretas, mas o PLURAL é a forma preferida desde o séc. XIX. Outra daquelas falsas polêmicas que seriam evitadas com um pouco mais de leitura…

ler completo
O livro do MEC (conclusão)

Do ponto de vista científico, desconhecer o Português padrão não representa deficit algum; do ponto de vista social, no entanto, esse desconhecimento é uma verdadeira SENTENÇA CONDENATÓRIA.

ler completo
O livro do MEC (3)

O linguista dedica-se a observar e analisar os fatos da linguagem para melhor entendê-la; o seu compromisso é com a CIÊNCIA. Pois nós, professores de Português, não somos nem pretendemos ser cientistas. Longe disso; o compromisso que temos é com a CULTURA.

ler completo