Artigos marcados com: Origem das palavras

propinocracia

Não precisamos consultar o dicionário para entender uma palavra como PROPINOCRACIA, pois nosso léxico é como um imenso Lego: as peças estão na caixa, à disposição do falante, que pode usá-las para produzir centenas de milhares de combinações que, é quase certo, não haverão de estar dicionarizadas.

ler completo
Esposas

Baseado na etimologia, um leitor alega que o termo “esposa” designa a mulher prometida em casamento, não devendo ser empregado para as que já estão casadas.

ler completo
Férias no dicionário

Veja como um bom dicionário pode transportar seus filhos para um mundo repleto de aventuras e descobertas.

ler completo
Azeite de oliva

Por que dizemos azeite de OLIVA, se ele vem da azeitona? E existe alguma diferença entre ÓLEO e AZEITE?

ler completo
espresso?

Os vocábulos importados são como estrangeiros que vêm morar no Brasil: uns já estão naturalizados, outros aguardam o deferimento do pedido e outros, finalmente, vão viver aqui sem mudar sua cidadania de origem.

ler completo
Abre-te, sésamo!

Quem está acostumado a usar senhas na internet vai entender perfeitamente o sentido da expressão “Abre-te, sésamo”. Aproveito, caro leitor, para lembrar que Ali Babá não CHEFIAVA os 40 ladrões; bem pelo contrário, ele FUGIA deles, e quase foi por eles assassinado.

ler completo
Camarões

É mais simples do que parece: o país da África que chamamos de CAMARÕES foi batizado por exploradores portugueses do séc. XVI – e a origem deste nome é o mesmo camarão que recheia nossa empadinha.

ler completo
Fantasias

Na fronteira do Brasil com os países do Prata, um baile de carnaval pode reunir, no mesmo salão, aqueles que pulam DISFARÇADOS com aqueles que pulam FANTASIADOS — e todos vão se divertir (ou aborrecer…) da mesma forma.

ler completo
Ainda as paraolimpíadas (conclusão)

Veja por que os esquisitíssimos *paralimpíada e *paralímpico jamais poderão conviver pacificamente com os demais vocábulos que compõem o nosso léxico.

ler completo
Ainda as paraolimpíadas

É de amargar! Como num passe de mágica, a maior parte da imprensa brasileira perdeu o seu tradicional espírito crítico (juntamente com o bom-senso) e aderiu cegamente a esta malparida PARALIMPÍADA.

ler completo