dês de?

Prezado Professor: gostaria de saber se a preposição desde pode ser substituída pela expressão dês de. Um colega de trabalho escreve desta maneira e teima que está correto, pois foi assim que ele aprendeu na escola. O interessante é que o corretor do Word não considera errada a expressão dês.

Francisco Fresard

Prezado Francisco: se teu amigo assim aprendeu na escola, ele deve ter estudado no século XIV. Dês é uma forma reduzida, arcaica, de desde; era extremamente comum nas cantigas de amor e nas cantigas de amigo do Português medieval, mas não está mais em uso, o que é indicado pelo rótulo de “antiquado”, tanto pelo Aurélio como pelo Houaiss. Durante algum tempo, gramáticos e professores de cabeça oca julgavam que o fato de uma determinada forma estar registrada nos escritores clássicos de nossa língua dava-nos o direito — em alguns casos, a obrigação — de empregá-la até hoje. Ora, nada mais tolo; Camões e Vieira, a quem eu muito admiro, usam dezenas de palavras que são totalmente descabidas em nosso século, até mesmo no estilo literário. Eu vejo dês, de vez em quando, no estilo de alguns autores da área jurídica que procuram deliberadamente escrever como no tempo das Ordenações; infelizmente, esse “toque” arcaizante, consciente em poucos, está se alastrando pelo estilo de muitos que tentam, coitados, imitar o que consideram um estilo “bonito”. 

Se teu amigo quer continuar com seu dês, é uma escolha a que ele tem direito. O que não existe, em hipótese alguma, é dês DE. O dês já é desde; o que vais encontrar, como te disse, é dês que, que significa, em vernáculo, desde que. Quanto ao fato do Word, tão moderno, reconhecer essa forma tão antiga, não te espantes: certamente ele pensa que estás usando o subjuntivo do verbo dar, “que tu dês“. Todos os corretores que vêm nos processadores são ridiculamente primitivos; os americanos costumam exemplificar com a frase “two bee or not two bee”, forma macarrônica de “to be or not to be”, que passa fácil por qualquer corretor. Jamais confies neles. Abraço. Prof. Moreno

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.