porquinho da índia

Prezado Doutor: quando nossa professora de Português leu O porquinho-da-índia, do Manuel Bandeira, nossa turma pensou que ele tivesse um leitão dentro de casa, mas ela explicou que era um ratinho, não um porquinho. Por que ele é chamado assim?

Gilson (11 anos) — Juiz de Fora (MG)

Meu caro Gilson: confesso que eu também fiquei surpreso no dia em que soube que o porquinho-da-índia não é porco, nem veio da Índia. As enciclopédias ensinam que ele é um roedor, primo da preá, da cutia e da capivara, natural da América do Sul (mais especialmente, dos Andes peruanos). Ele já era domesticado pelos indígenas muitos séculos antes da chegada de Colombo, e, juntamente com o sagüi, a arara e o papagaio, foi levado para a Europa como um animalzinho de estimação dos ricos e dos nobres.

O nome de porco que lhe foi dado talvez se deva ao ruído que emite, que se assemelha a um leitão coinchando baixinho — ou quiçá ao hábito renascentista de usar “porco” como uma designação genérica para mamíferos estranhos ou desconhecidos; basta lembrar o porco-espinho, nome dado ao ouriço, e o porco-formigueiro, um curioso comedor de formigas do continente africano, que sempre me intrigou por ser o verbete inicial de muitos dicionários e enciclopédias em Inglês, onde se chama aardvark. Quanto à Índia, não podemos esquecer que o continente americano, durante muito tempo, era chamado erroneamente de Índias Ocidentais (daí os nativos terem recebido o nome de índios, como vimos em os nomes do peru); isso fica bem evidente não só no Português, pois, num artigo especializado de Joffre Rezende, vemos que ele é chamado de porcellino d’India (porquinho da Índia), em Italiano; de cochon d’Inde (porco da Índia), em Francês; e de conejillo de India (coelhinho da Índia), em Espanhol.

Agora, Gilson, espero que o texto do poema de Bandeira faça mais sentido para ti e para os teus colegas. Embora um leitão não seja exatamente um animal feio, é melhor vocês pensarem num animalzinho mimoso, tímido e arisco, exatamente como o poeta o descreve:

“Quando eu tinha seis anos

Ganhei um porquinho-da-índia.

Que dor de coração me dava

Porque o bichinho só queria estar debaixo do fogão!”

 

Um abraço para todos. Prof. Moreno

Depois do Acordo: sagüi> sagui

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.