programa “legal” ?

Prezado professor: nas frases “aquele passeio foi legal“, “este programa de televisão é legal” ou “que legal!”, podemos usar a palavra “legal” no sentido de “bom, prazeroso“, e não apenas em seu sentido jurídico, como em “o advogado afirmou que tal ação é legal“?  

Milton S. Jr. — Santos (SP)

Meu caro Milton: é claro que podemos usar legal assim — mas no Português mais à vontade. No Português escrito, mais formal — trabalhos acadêmicos, livros didáticos, artigos de divulgação séria, etc. — não seria adequado, porque ainda traz consigo um forte sabor de gíria (daí, aliás, tu teres estranhado o seu emprego). É como jóia: “Está tudo jóia” fica bem falando com a família ou com amigos, mas não em trabalhos formais. O Aurélio XXI registra também este uso mais popular, não-jurídico, do legal

Esse exemplo é bom para lembrar dois princípios importantes sobre a gíria: (1) ela muito raramente cria um vocábulo novo; ela é responsável, isso sim, pela atribuição de novos significados a vocábulos já existentes. (2) Aos poucos, algumas dessas inovações vão saindo do quintal e entrando na casa; quando vemos, já estão sentadas na sala, junto com as outras palavras respeitáveis. Isso é sinal de que foram aceitas na sociedade; nosso idioma, conseqüentemente, ficou um pouquinho mais rico. Abraço. Prof. Moreno

Depois  do Acordo: jóia>joia

conseqüentemente> consequentemente

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.