memorando

No meu trabalho estamos usando o termo memoranda para as comunicações internas, no lugar do tradicional memorandos. Qual é a maneira certa? 

Ludmilla 

Minha cara Ludmilla: estás trabalhando, por acaso, num mosteiro medieval? Fiquei curiosíssimo com essa volta ao Latim, muitos séculos depois do vocábulo ter assumido a sua forma portuguesa. Usamos um memorando, dois memorandos. Em Latim, teríamos um memorandum, dois memoranda (o plural do neutro era em –a, assim como curriculum faz curricula). O Inglês ainda conserva esses plurais latinos (onde temos estrato, estratos, eles usam stratum, strata; onde temos dado, dados, eles usam datum, data; onde temos bactéria, bactérias, eles usam bacterium, bacteria; e assim por diante. Ora, como esse plural exótico perturba o quadro flexional do Inglês, seus dicionários já registram memorandum, pl. memoranda ou memorandums.

A tendência é nosso sistema absorver esses vocábulos latinos e dar-lhes forma e funcionamento similares aos vocábulos de nosso léxico. Assim aconteceu com os que entraram primitivamente na Lusitânia, assim deve acontecer com os que entrarem hoje, tardiamente, no Português. Há formas em nítida transição, como campus, campi,que, a meu ver, está celeremente evoluindo para câmpus (sing. ou plural, como ônibus, bônus, tônus, etc.). Memorando(s), no entanto, já é forma velha, há muito tempo dicionarizada. Não vejo aqui nenhuma razão para voltar; ou essa orientação saiu de um manual em Inglês, ou alguém está tentando demonstrar uma cultura clássica que não tem. Abraço. Prof. Moreno

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.