temporão

Prezado Doutor: sou uma grande apreciadora do Sua Língua, que mudou muito minha maneira de ver as coisas, pois agora começo a ver o que antes não enxergava. É o caso de temporão: eu sempre entendi esse vocábulo como alguma coisa que veio depois do tempo adequado, mas o dono da fruteira diz que pêssego temporão é o que fica maduro antes dos outros. Eu estava errada?

Paula A. — Fazenda Nova (PE)

 

Prezada Paula: temporão (do Lat. temporaneus) é um termo antigo que significava, precisamente, “antes do tempo”. Usado principalmente com referência a frutos e cereais, designava as espécies que amadurecem mais cedo que o habitual, sentido que se mantém até hoje no âmbito da agricultura: figo temporão, milho temporão, uvas temporãs (Bluteau). Da mesma forma, em sentido figurado, passou a se aplicar a fatos e acontecimentos ocorridos antes do tempo: o dicionário de Morais cita “Casar temporão” (cedo); o de Domingos Vieira traz “Começar temporão” (mais cedo que os outros) e “homem temporão para o ofício” (muito moço, não maduro). Há trechos felizes da tradição literária que deixam bem claro o sentido primitivo. O sempre oportuno padre Vieira escreve, no seu Sermão VIII de Maria Rosa Mística: “Aqui vos ofereço, Senhor, juntos neste dia todos os frutos de todo o ano, assim os velhos como os novos, assim os temporãos como os serôdios”. Cem anos depois, no séc. XVIII, João Ferreira de Almeida, o mais famoso tradutor da Bíblia para nosso idioma, assim traduz Jeremias, 5:24: “Temamos, agora, ao Senhor, nosso Deus, que dá chuva, a temporã e a tardia, a seu tempo”. No séc. XX, o modernista Mário de Andrade, no seu O Poeta Come Amendoim, continua a usar o termo com o mesmo sentido:

“Porém o desastre verdadeiro foi embonecar esta república temporã.
A gente inda não sabia se governar…”

No entanto, minha prezada Paula, já sabemos que as palavras têm os limites extremamente elásticos; não adianta fincar pé e defender com unhas e dentes a pureza do significado primitivo. As palavras vão significar o que os usuários quiserem que elas signifiquem. É claro que não me refiro ao usuário individual, eu, tu ou aos meus poucos leitores, mas àquela procissão infinita de gerações que vai distendendo o tecido semântico da palavra para que nela caibam outros significados. Assim como a falta de maisena, na despensa, leva a cozinheira a experimentar um pouco de farinha de trigo na receita, assim a falta de um vocábulo para expressar determinada nuança da realidade pode nos levar a usar um que já existe, mais ou menos parecido. O falante comum precisava de um termo que significasse, de maneira mais abrangente, “aquilo que acontece fora do seu tempo próprio” (não importa se antes ou depois); para esse fim, nosso léxico nos oferece extemporâneo, mas é vocábulo de feição erudita, fonológica e ortograficamente. Poderia, talvez, ter surgido aqui um novo vocábulo, cognato de tempo, mas o tradicional temporão já estava ali, disponível, dando sopa — e eis-nos hoje a usar esse vocábulo tanto para o cedo, como para o tarde. Enquanto os textos médicos do século XIX usavam temporão como sinônimo de prematuro, hoje, no seio da família brasileira, por exemplo, entende-se filho temporão como aquele que nasce depois que seus irmãos já estão crescidos (o que, em algumas regiões, é chamado delicadamente de “rapa do tacho”).

Ora, se temporão ainda conserva, para uns, seu significado primitivo, mas para outros já passou a incluir também a idéia de tardio, nós só podemos utilizá-lo se tomarmos a precaução de deixar bem claro o que estamos querendo dizer. Quando se ouve falar no carnaval temporão de Belo Horizonte, realizado em maio, a mente da maioria dos leitores vai escolher a interpretação de tardio; mas, e o carnaval temporão realizado em novembro, em outras cidades do país? Ele está adiantado ou atrasado? E a manchete de um caderno de viagens, “Turistas são surpreendidos por frio temporão” — o frio veio antecipado, ou já não era mais época de fazer frio? Como vês, Paula, tu estavas certa, mas o dono da fruteira também. Abraço. Prof. Moreno

P.S.: Em Espanhol, temprano é “cedo”. Para os que gostam de vinho, lembro que uma variedade de uva vinícola que começa a fazer sucesso na Espanha e na América do Sul é o tempranillo, assim chamado por causa de sua característica temprana (leia-se “temporã, precoce”).

Depois  do Acordo: idéia> ideia

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.