câmpus

Prezado Prof. Moreno: no Manual de Redação e Estilo, editado pelo O Estado de S.Paulo, temos o câmpus, os câmpus. Mas é habitual nas Universidades, como esta (Universidade Estácio de Sá), se ver, ler e ouvir o campus, os campi. Qual o correto, professor? Desde já meus mais sinceros agradecimentos por sua gentileza.

Prof. Marcos Fernando Evangelista

Meu caro Marcos: essa é uma daquelas palavras mutantes, que se encontra numa espécie de limbo entre o Latim e o Português. Alguns a usam no Latim, dando-lhe a grafia e a flexão latina: o campus, os campi ; outros já a tornaram nossa, grafando-a como outros vocábulos latinos similares (ônus, ângelus, íctus, múnus, tônus, etc. — já dentro de nosso sistema flexional e ortográfico). Eu sempre aconselho o uso da forma evoluída câmpus, já que a outra pressupõe conhecimento do Latim (que a maioria de nosso público acadêmico infelizmente não tem) e acarreta complicações desnecessárias na forma de escrevê-la (como não é Português, deve vir sempre em itálico ou sublinhada). O Inglês, muito menos flexível que nossa língua, vive às turras com esses plurais latinos — datum, data; memorandum, memoranda; erratum, errata; agendum, agenda; etc. Nós, que usamos o Português, filha direta do Latim, temos a tendência de deixar a palavra entrar no nosso sistema flexional, já que ela é mesmo de casa: o memorando, os memorandos; a errata, as erratas. Queres saber mais? Acho que deveríamos estender isso a córpus, com todas as pompas: o córpus, os córpus (deixando o uso latino o corpus, os corpora). Abraço. Prof. Moreno

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.