Categorias
Concordância Destaque Emprego dos pronomes Lições de gramática Sintaxe das classes gramaticais

“você” é 2ª ou 3ª pessoa?

Um leitor de Minas Gerais quer saber como pode se referir a um carro que pertence a seus dois interlocutores: “O carro DE VOCÊS está com o pneu furado”, “VOSSO carro está com o pneu furado” — ou não é nada disso?

Prezado professor Moreno: tenho uma dúvida quanto ao uso dos possessivos. Aqui em Minas Gerais usamos sempre o você em lugar do tu, fato que gera várias confusões e ambigüidades com o uso simultâneo da 2ª e da 3ª pessoa. Eu tento manter a uniformidade pronominal, mas há uma situação em que ainda fico em dúvida: quando estou me dirigindo a dois interlocutores e quero me referir a um objeto que pertence a ambos, que pronome possessivo devo usar? Já ouvi dizerem “O carro de vocês está com o pneu furado”; na fala popular, ouvi “Seus carro está com o pneu furado” (ai, que dor no ouvido!); sei também que se pode empregar o pronome da 2ª pessoa do plural (nunca usado por aqui): “Vosso carro está com o pneu furado”. Este “de vocês” pode ser considerado correto segundo a norma culta? Ou só se admitiria o “vosso carro”?

Juarez A. –  Pedro Leopoldo  (MG)

Meu caro Juarez, acho indispensável começar por uma importante distinção: as pessoas do discurso não são as mesmas pessoas gramaticais. As pessoas do discurso se definem por sua posição no ato comunicativo: a 1ª pessoa é a que fala (eu, nós); a 2ª, com quem eu falo (tu, vós, você, vocês, o senhor, etc.); a 3ª é de quem eu falo (ele, eles). Nota que, por esta classificação, você é uma das opções que nosso idioma oferece para designar a pessoa com quem estamos falando – a 2ª pessoa do discurso, portanto. Como tu mesmo observaste, uns tratam seu interlocutor de tu, outro preferem usar você. A escolha é livre.

As pessoas gramaticais, por sua vez, é que nos dizem qual a flexão verbal que vamos usar, que pronome oblíquo vamos selecionar, e assim por diante. Se compararmos “Tu te arrependeste de tua escolha” com “Você se arrependeu de sua escolha”, veremos que o tu é acompanhado de formas da pessoa gramatical (te, arrependeste e tua), enquanto o você corresponde a formas da pessoa gramatical (se, arrependeu e sua). Aqui se encontra a fonte das confusões que descreveste: você é um  pronome da 2ª pessoa do discurso, mas usa (como todos os pronomes de tratamento) as formas da 3ª pessoa gramatical: “Você deve se orgulhar de seu filho” (assim como “Vossa Majestade pode se orgulhar de seu filho”). Só utilizaremos o possessivo vosso, portanto, quando a forma de tratamento escolhida for vós, cujo emprego (atualmente) ficou restrito a textos religiosos (“Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres, bendito é o fruto em vosso ventre, Jesus”).

Vamos, agora, ao teu problema específico –  como se referir a um só objeto que pertence a vários interlocutores. Não esqueças que o pronome possessivo do Português sempre concorda com o substantivo que representa a coisa possuída (diferentemente do Inglês, em que concorda com a pessoa do possuidor). João tem um carro; ele guardou seu carro. João tem dois carros; ele guardou seus carros. João e Maria têm um carro; eles guardaram seu carro. João e Maria têm dois carros; eles guardaram seus carros. Vocês têm um carro; vocês guardaram seu carro. (Falando com dois irmãos): “Vocês devem agora falar com seu pai“. “Vocês deveriam passar mais tempo com sua família“. Como podes ver, não interessa se o possuidor é singular ou plural, mas sim o número da coisa possuída. Para você e os demais pronomes de tratamento, o possessivo correspondente é seu, sua, seus, suas; a forma a ser usada dependerá do substantivo que eles acompanham. No exemplo que enviaste, portanto, o uso culto oferece duas opções: “Seu carro está com o pneu furado” ou “O carro de vocês está com o pneu furado”. Abraço. Prof. Moreno

Depois do Acordo: ambigüidades > ambiguidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.