Categorias
Através dos dicionários Destaque Formação de palavras Lições de gramática

bonitíssimo

Um cidadão alemão que está aprendendo nossa língua saiu-se com um BONITÍSSIMO. Esta forma existe? É correto usar uma palavra que não está relacionada nos dicionários?

Professor Moreno: tenho um primo na Alemanha que está tentando aprender a nossa língua . Ele tem progredido bastante, mas outro dia, num museu, apontou para um quadro e exclamou: “Olhe! É bonitíssimo!”. Eu lhe disse que não era assim que se falava, mas terminei ficando com dúvida. Essa forma está muito errada mesmo? Todos os adjetivos têm um superlativo? Sei que os dicionários comuns (como o famoso Aurélio) só apresentam os superlativos menos óbvios, como boníssimo, mas não trazem belíssimo, por exemplo, que é óbvio demais. Ora, como sei se o superlativo que estou propondo existe? Bonitíssimo não está lá. O que devo concluir? Bonitíssimo não existe, ou existe e é tão básico que nem se dão ao trabalho de publicar umas letrinhas a mais no dicionário só pra tranqüilizar os menos informados?!

Alline C. R. – Campinas (SP)

Minha cara Alline: é claro que existe bonitíssimo. Os dicionários (de qualquer língua, por sinal) costumam deixar fora de suas listas todas aquelas formações que, de tão produtivas, são facilmente deduzidas pelo falante. Assim, em Português, quase não se registram (1) os diminutivos em –inho e –zinho, (2) os superlativos em –íssimo e (3) os advérbios em –mente. Por exemplo, não há necessidade de incluir pobrezinho, pobríssimo e pobremente, três formações automáticas a partir de pobre. É uma economia considerável de três entradas no dicionário — e não apenas de algumas letrinhas! Multiplica isso pelas dezenas de milhares de substantivos e adjetivos, e vais ver que vale a pena!

Agora, uma coisa é certa: há padrões morfológicos que se aplicam a todos os vocábulos que existem e a todos os que virão a existir em nossa língua. Se um dia, hipoteticamente, for criado um adjetivo calurdo, nascerá com ele a possibilidade de formar calurdozinho, calurdíssimo e calurdamente — porque essa é uma potencialidade de todo e qualquer adjetivo. O teu primo apenas aplicou uma regra poderosíssima de formação de superlativo; se nós não gostamos de usar bonitíssimo, haverá muita gente que goste; esta forma está lá, sempre latente, esperando apenas que alguém precise dela para vir à tona, como foi o caso. Teu primo está realmente começando a dominar o nosso idioma. Abraço. Prof. Moreno

Depois do Acordo: tranqüilizar > tranquilizar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.