Quer que eu vou?

Prezado Professor: tenho escutado muitas vezes perguntas feitas desse modo: “você quer que eu vou?” ou “você quer que eu faço?” Eu sempre disse: “você quer que eu ?”, “você quer que eu faça?” mas são tantas as pessoas que falam do outro modo que já começo a achar que a errada sou eu.   

Regina B. — Cuiabá

Minha cara Regina: o uso do subjuntivo nessas construções de oração subordinada é obrigatório. Está corretíssima a maneira como falas (“você quer que eu vá?”). Não sei de onde saíram esses, aí em Cuiabá, que deixam de usá-lo, mas aqui no Sul eu já percebi que o pessoal que fala outra língua em casa (alemão, polonês, etc.) comete o mesmo erro: “*Vocês não querem que eu ajudo?”; “*Ele não se importa que eu vendo meu carro”; “*É melhor que vocês ficam calados”. Esses exemplos parecem-me soar tão mal que só posso atribuí-los a ouvidos estrangeiros, acostumados às seqüências temporais próprias de seus idiomas de origem. Abraço. Prof. Moreno

P.S.: é interessante acrescentar que não é só aqui que existe essa dificuldade em empregar o subjuntivo. O grande humorista francês da Belle Époque, Allan Allais, intitulava-se um dos fundadores da Liga para a Propagação do Subjuntivo entre as Classes Trabalhadoras… Puro veneno!

Depois  do Acordo:  seqüência> sequência

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.