pronúncia dos encontros consonantais

Mestre, tenho 13 anos e gosto muito de ler; descobri agora sua página. Adorei! Como devo pronunciar o nome do faraó Ramsés? É /ram–sés/ ou /rámi–sés/? Penso que o certo é da primeira forma e discuti com minha prima. Creio que da segunda forma parece pronúncia inglesa, não? Agradeço sua atenção.

Mariana —  Campina Grande (PB)

Minha cara Mariana: as coisas não são tão simples quanto parecem. Por que será que tu e tua prima divergiram quanto a Ramsés? Porque aqui aparece aquele velho fantasma dos encontros consonantais imperfeitos. É um nome pouco empregado, hoje em dia (era usado pelos gramáticos de outrora), mas continua muito oportuno. Quando duas consoantes se encontram, ou formam um encontro consonantal perfeito (em princípio, todo aquele cuja segunda consoante for R ou L: aBRaço, PLaca, PRova, TRova, aCLamar, etc.), ou imperfeito (os demais: aFTa, diGNo, PNeu, aDVogado, oBTurar, etc. — geralmente em vocábulos de origem grega ou erudita).

Essa denominação de “perfeito” e “imperfeito”, claramente avaliativa, está ligada à facilidade ou à dificuldade de pronunciar esses encontros. Para podermos adequar os imperfeitos aos padrões fonológicos do Português, introduzimos, ao falar, uma vogal entre as duas consoantes, desmanchando assim o encontro e formando duas sílabas comuns: aFTa vira, na fala, /á-fi-ta/ (falando, tem o mesmo número de sílabas que África); riTMo vira /rí-ti-mo/; PNeu (ainda bem!) vira /pi-neu/. Não preciso te dizer que essa vogal não se escreve; estou representando, entre as barras inclinadas, a maneira como pronunciamos esses vocábulos. Por causa dessa vogal extra, todas as palavras que têm encontros imperfeitos passam a ter, na fala, uma sílaba a mais que na escrita.

É claro que as pessoas mais cultas, ao usarem uma fala mais cuidada (“fala tensa”, como alguns chamam), tratam de manter o mais discreta possível essa vogalzinha. Eu pronuncio a segunda sílaba de /a-DI-vo-ga-do/ com um /i/ mal e mal perceptível; muitos falantes, no entanto, carregam no /i/ e alguns, inclusive, tentam trocá-lo por /e/ (dizem algo assim como /a-DE-vo-ga-do/, erro típico dos pretensiosos de pouco estudo).

Sabes o que houve entre ti e a tua prima? A pronúncia de ambas inclui esse i-zinho: o teu pode ser mais discreto, o dela pode ser mais aparente, MAS AMBAS O ESTÃO PRONUNCIANDO. Ambas estão dizendo /ra-mi-sés/, com três sílabas. O Inglês sim, que admite sílaba fechada por consoante, pronuncia /ram-ses/. Espero ter solucionado o teu problema. Abraço. Prof. Moreno

P.S.: Curiosidade minha: como é que vocês duas (tu e a tua prima) pronunciam a última sílaba deste faraó? /ra-mi-CÉS/, /ra-mi-ZÉS/ ou /ra-mi-CÊS/?

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.