classe não é função

O Doutor adverte: ninguém consegue fazer uma boa análise sintática se não distinguir CLASSE de FUNÇÃO.

 

Professor: analisando a frase “visitaremos o Museu de História no sábado”, a função sintática de no sábado é de adjunto adverbial de tempo. Ora, a palavra sábado é um substantivo; pergunto se nessa frase, em sua função morfológica, ele se mantém como substantivo (mesmo sendo adjunto adverbial), ou passa a se classificar como advérbio? Por favor, sempre tenho essa dúvida em análises morfossintáticas. Desde já agradeço a atenção.

Geraldo R. — Juiz de Fora (MG)

Meu caro Geraldo: às vezes um pequeno desvio de raciocínio faz parecer complexo aquilo que, na verdade, é muito simples. Tua análise tem uma falha sutil, que já atrapalhou muita gente: FUNÇÃO é uma coisa, CLASSE é outra bem diferente. Vamos por partes:

1Em “visitamos o museu naquele sábado ensolarado“, o sintagma destacado é um adjunto adverbial, como muito bem já disseste.  Isso é a sua FUNÇÃO; isso é sintaxe.

2Se, no entanto, examinarmos em separado cada um dos vocábulos aí presentes, temos a seguinte análise: EM (preposição) + AQUELE (pron. demonstrativo) + SÁBADO (substantivo) + ENSOLARADO (adjetivo) . Isso é a sua CLASSE; isso é morfologia.

Não te esqueças de que os adjuntos adverbiais (isso é FUNÇÃO) aparecem de duas maneiras, no Português:

(1) como um simples advérbio: “nasceu ONTEM”, “vamos fugir AGORA”, “ele tombou AQUI”.

(2) como um substantivo preposicionado: “chegou NO SÁBADO”, “perdeu os óculos EM CASA”, “eles vieram DE CARRO”, “ele estuda Matemática COM MUITO INTERESSE”.

Todos os elementos que destaquei são adjuntos adverbiais (essa é  a sua FUNÇÃO); todavia, enquanto ontem, agora e aqui são advérbios, sábado, casa, carro e interesse são substantivos (essas são as suas  CLASSES, respectivamente). Acho que isso vai facilitar bastante a tua compreensão da sintaxe. Abraço. Prof. Moreno

Quer conhecer a mitologia grega?
Então ouça o podcast Noites Gregas, do professor Moreno.