Categorias
Etimologia e curiosidades Isso e aquilo

locativo ou locatício?

Prof. Moreno, em quase todos os livros de Direito, sentenças judiciais, etc., encontra-se a palavra locatício. Raramente se usa locativo. Consultando o dicionário Aurélio há alguns anos, a informação sobre locatício era de verbete inexistente, sendo o correto locativo. Eu, particularmente, prefiro usar locativo. Assim, indago: qual a forma correta ? Muito obrigada.

Maria Luísa L. — São Paulo

Prezada Maria Luísa: tua pergunta já começou com a resposta, quando dizes “Em quase todos os livros de Direito, sentenças judiciais, etc.”. Não consigo entender como o Houaiss (e o Aurélio) foram ignorar locatício, se a maior parte dos juristas prefere esse adjetivo! É evidente que locativo também está correto, mas a língua produziu a variante em -ício; a raiz pegou, a árvore botou galho e hoje está bem frondosa (uma rápida pesquisa no Google aponta mihares de ocorrências para locatício e flexões). Em linguagem, um resultado desses não pode ser ignorado, principalmente porque os votantes, na sua esmagadora maioria, não são pessoas sem instrução… 

Acho que essa popularidade se deve a dois motivos básicos: primeiro, porque locatício vem fazer companhia a tantos outros termos similares que o profissional da área jurídica usa diariamente (advocatício, pignoratício, empregatício, creditício, etc.); segundo (e talvez o mais importante), porque locativo também é muito usado como um adjetivo relativo a “lugar” — e a funcionalidade do idioma está tratando de especializar o significado das duas formas.

Lembro-te de que não se pode discutir aqui qual seria a forma “correta”, já que ambas existem. O fato de uma delas não estar dicionarizada não quer dizer nada; temos perto de 600.000 vocábulos, e o Houaiss registra apenas 240.000. Aliás, é curioso que no verbete “loc(o)-“, em que Houaiss registra as derivações feitas a partir deste radical, ele inclui “locatício”, sem abrir verbete específico para ele (o que, repito, foi erro técnico; o volume em que esta forma é empregada por pessoas cultas torna obrigatória a sua inclusão nas próximas edições). Além disso, no verbete “locativo”, deixa estranhamente de explicar, na parte referente à Etimologia (geralmente tão consistente), a dupla origem deste vocábulo (local e locar).

A convivência de variantes concorrentes é um dos fatos mais corriqueiros do idioma; só como início de exemplificação, envio-te os seguintes pares que estão por aí, nos dicionários: advocatício e advocatório; castrício e castrense; dotalício e dotal; edilício e edílico; gentilício e gentílico; laudatício e laudatório; pactício e pactual; supositício e supositivo; e assim por diante. Podes, portanto, continuar a usar a forma de tua preferência, mas deves aceitar que outros falantes façam uma escolha diferente. Não te esqueças de que nosso estilo é a soma de nossas escolhas — e não falamos de escolher entre uma forma correta e uma forma errada, mas entre duas ou mais formas igualmente aceitáveis. Abraço. Prof. Moreno