Categorias
Análise sintática Lições de gramática

VIVER como verbo de ligação?

Caro Professor Moreno: na oração “Mário VIVE cansado”, o verbo viver — como ensinado nas escolas — é intransitivo. Porém, um aluno perguntou sobre a eventual possibilidade do mesmo ser verbo de ligação, como é o caso de andar na oração “Mário ANDA cansado”. Estaria correta a posição dele? Agradecida.

Teresinha M. — São José dos Campos

Minha cara Teresinha, acho que o teu aluno tem toda a razão. O verbo VIVER, no exemplo que deste, não é o VIVER intransitivo; aqui ele é classificado como uma espécie de verbo de ligação — um tanto especial, porque não é tão-somente relacional, mas “traduz uma noção além do estado (predicado verbo-nominal). Ex.: “Eles viviam escondidos no mato”. Há aqui noção de vida + estado oculto do sujeito”, diz Celso Pedro Luft, em sua Moderna Gramática Brasileira (aviso a meus leitores: esta gramática só deve ser utilizada por professores ou estudantes de Letras; para o usuário comum, ela é técnica e inovadora demais). O mesmo Luft, no seu utilíssimo Dicionário Prático de Regência Verbal, vai mais longe: já classifica VIVER, nesta acepção, como verbo de ligação, com o significado de estar sempre (aspecto durativo, continuativo ou permansivo): “Ele vive gripado”; “Vive com dores de cabeça”.

Nota que aqui está uma boa oportunidade de reformular a maneira de ensinar os verbos de ligação: em vez de fornecer aos alunos uma lista fechada (eu próprio aprendi, no meu tempo, a desfiar, de cor, aquela ladainha do “ser, estar, ficar, permanecer, etc.”), é muito melhor ensiná-los a raciocinar. Podemos, por exemplo, levantar a seguinte hipótese: se viver for um verbo de ligação, ele estará ligando o sujeito a seu predicativo; ora, os predicativos têm a propriedade sintática de concordar, em gênero e número, com o sujeito (ELA está NERVOSA, ELE está NERVOSO, ELES estão NERVOSOS, ELAS estão NERVOSAS). Se na tua frase — “Mário vive cansado” — trocarmos Mário por Maria, vamos ter “Maria vive cansada“: a flexão nos assegura que estamos diante de um predicativo. O mesmo vale para frases como “Ele virou delegado”, “O menino saiu vencedor”, “Ela acabou ferida”, em que os verbos virar, sair e acabar funcionam como verbos de ligação, e delegado, vencedor e ferida são predicativos.

Quanto a teu aluno curioso, fica de olho nele; ele parece ter uma boa sensibilidade lingüística, como podes ver. Quem sabe não temos aí um futuro colega nosso? Abraço. Prof. Moreno

Depois  do Acordo: lingüística > linguística