Categorias
Como se escreve Destaquinho Emprego das letras

saite, mause e clique

Maneco V., do Rio de Janeiro, diz que tem recebido críticas por escrever alguns termos usuais na Informática da forma em que são pronunciados — saite, mause, clique, etc. — e gostaria de saber o que o Doutor pensa sobre isso.

Meu caro Maneco: tens recebido críticas de quem, cara-pálida? De professores de Português? Aposto que não. Estás apenas exercendo o direito à opção que todos nós temos, diante de vocábulos importados: ou nós os mantemos na forma original (em alguns cenários, isso pode ser até estratégico), ou nós os adaptamos ao sistema fonológico e ortográfico do Português (que é a tendência natural, pois nosso idioma já incorporou, com as devidas alterações, milhares de vocábulos provenientes de todo o mundo). Eu, por exemplo, só uso sítio, mas muitos de meus colegas usam saite; clique já está com verbete (e dos bons) no Houaiss. Mause vai demorar, mas é apenas questão de tempo (uma passadinha do Google me trouxe, agora, milhares de exemplos). Fica em paz, e segue fazendo o que preferires. Abraço. Prof. Moreno

Categorias
Destaquinho Emprego das letras Formação de palavras Questões do momento

site, saite, sítio

Caro prof. Moreno, percebi no Sua Língua o uso repetido do termo sítio, como adaptação do inglês site. Como sei que o senhor defende a fluência natural na adaptação das línguas, e não é um purista antiestrangeirismos fanático, estranhei esse uso. Sei que é corrente em Portugal (assim como usam rato para o — hã…— nosso mouse), mas o termo estrangeiro parece ter ficado por aqui. Parece uma adaptação apressada. O termo site se traduz como “local”, “posição”, ou pelo verbo “situar”. Quanto ao significado, sítio é uma palavra muito menos abrangente que local, a tradução correta. Penso que uma adaptação a partir da tradução deveria transformar o vocábulo em local, enquanto uma adaptação a partir da palavra seria mais honesta se se transformasse em site (lido /site/, não /saite/). Gostaria de saber o porquê de sua escolha, principalmente quando o termo original já parece ter se infiltrado em nossa língua. Obrigado Rodrigo Roesler

Prezado Rodrigo, vou examinar cada opção em separado. Primeiro, se preferirmos usar o próprio vocábulo estrangeiro, vamos optar por site (obrigatoriamente em itálico, porque é palavra estrangeira), assim como fazemos até hoje com winchester, standard ou marketing.

Segundo, se quisermos adaptar o vocábulo ao nosso sistema ortográfico e fonológico, vamos escolher saite — certamente a opção que vai conquistar a maioria dos falantes, por seguir a tendência atual de aportuguesar os vocábulos estrangeiros indispensáveis. Nota que tua sugestão final (escrever site e pronunciar /site/) é inviável, porque fere um princípio básico dessas importações: preservar, dentro do possível, a pronúncia, e não a grafia do idioma de origem (abatjour>abajur; bureau>birô; black-out>blecaute).

Por último, se quisermos traduzir o termo estrangeiro, vamos ficar com o vocábulo vernáculo sítio (como fazem os portugueses — e não vamos ter a pretensão de, com nossos raciocínios pessoais, imaginar que eles estejam errados…). Eu uso sítio (já escrevi sobre isso) em coerência com a posição que sempre defendi nesses casos: as importações só são válidas quando vêm preencher lacunas existentes em nosso léxico, e não se justificam quando apenas substituem um termo que já possuímos. Louvo a tua pesquisa nos dicionários — o que é bom, porque revela cuidado —, mas estranho a tua conclusão de que sítio seja uma “adaptação apressada”, porque, como dizes, a tradução do Inglês site seria local, etc., etc. Na verdade, meu caro Rodrigo, o nosso vocábulo sítio também significa “local”, como podes constatar pelos sítios arqueológicos e paleontológicos que se encontram por aí. Podemos, portanto, optar por qualquer uma delas — site, saite ou sítio —, conscientes de que cada escolha vai revelar uma atitude diferente diante do idioma. Abraço. Prof. Moreno